jump to navigation

419 Scam 28/10/2008

Posted by Alexander Santos in Segurança da Informação.
trackback

O golpe 419 Scam surgiu na metade da década de 80 na Nigéria. Um golpe de certa forma bastante primário, utilizado por pessoas que não precisam conhecer muito de tecnologia.

O 419 é equivalente ao 171 brasileiro: estelionato, conto do vigário. É uma lei penal que foi revisada e expandida com emissão em abril de 1995, do decreto presidencial nº 13 intitulado  de Advance Fee Fraud (AFF) fraude por antecipação de pagamento – na Nigéria.

Uma das grandes facilidades desse golpe é o baixo investimento necessário para aplicá-lo, bastando ter apenas um computador, uma conta num provedor, uma conta de e-mail utilizada para o envio de mensagens eletrônicas e uma conta de e-mail de um destinatário que será a vítima do golpe.

Os e-mails de possíveis vítimas podem ser obtidos através de jornais, revistas, internet e etc ou comprados a spammers que têm uma quantidade de endereços de e-mails grande, no Brasil, um desses spammers vende uma lista com 26,8 milhões de e-mails por 60 reais.

E para enganar as vítimas, existem vários modelos de cartas e mensagens. Segundo a Financial & Tax Fraud – Education Associates / Quatloos são cem tipos. Essas mensagens são enviadas para vários destinatários oferecendo muito dinheiro, milhões de dólares (atualmente o Euro também) disponíveis para dividir com a vítima caso ela concorde em participar do esquema.

Mas, que mensagem é essa? Geralmente, é originada de um serviço de e-mail gratuito, como Hotmail, Gmail, Yahoo! e outros, o que dificulta  o rastreamento de sua origem e, no caso do provedor ser informado de que a conta é usada para o golpe, eles cancelam a conta e o vigarista simplesmente pode abrir outra conta de e-mail (eles também podem utilizar número de fax). A mensagem geralmente contém a história de tragédia de uma família rica que deixou uma fortuna e seu(s) herdeiro(s) não pode(m) ficar com o dinheiro. Ai entra o golpe, é enviada uma mensagem para um destinatário contando a história, o valor da fortuna e o percentual da recompensa. O remetente, quase sempre, se diz ser da família do suposto morto ou ter relações diretas com ele, por exemplo, um contador, um médico etc e que recuperou parte da fortuna, mas não poderá ficar com a herança e precisa da ajuda do receptor (vítima) para poder transferir a fortuna para uma conta corrente segura para que, por exemplo, o governo não a confisque, e oferece uma recompensa em torno de 5% a 20% da fortuna ao receptor se ele quiser ajudar. A origem do dinheiro sempre é duvidosa, mas para dar credibilidade a essa origem, são mencionados o nome de um rico-ladrão, ditador-ladrão, da esposa dele, filho do ditador, ministros do governo nigeriano, assinaturas do governo, selos, carimbos, documentos oficiais etc. isso é utilizado para convencer a vítima em participar do esquema. O dinheiro pode ser transferido de um banco Suíço, da Inglaterra etc. para conta corrente do destinatário em qualquer parte do mundo. O remetente pede sigilo absoluto para que o esquema seja bem sucedido. E porque esse golpe tão primário dá certo? Porque o dinheiro vai ser do destinatário e ele não precisa contar a ninguém, ele foi o eleito e vai ganhar uma fortuna sem nenhum esforço.

Para o início do esquema, o remetente solicita alguns dados pessoais como: telefone, endereço, conta bancária,  cópia do passaporte etc. o dinheiro será depositado na conta corrente da vítima ou da sua empresa e ficará aguardando lá até que o remetente solicite a sua liberação. Fica clara a possibilidade da vítima ficar com todo o dinheiro e não devolver na hora solicitada e isso influencia a vítima a participar do esquema. Depois que o destinatário concordar em participar do esquema, ele será informado de um pequeno “obstáculo”, mas que pode ser facilmente resolvido e para resolver esse “obstáculo” o remetente informa que pequenas despesas têm de ser cobertas imediatamente, porque houve alguns contratempos que exigem um pagamento rápido para que o esquema possa ser realizado, caso contrário, pode dar errado e não será possível executar o esquema e a vítima não terá mais a recompensa. Para resolver esse contratempo, basta à vítima antecipar algum dinheiro para as despesas inadiáveis e indispensáveis como: propina, incentivos, taxas, emolumentos e despesas burocráticas. No início, são despesas pequenas, mas logo o valor vai aumentando. Algumas vítimas fazem a transferência on-line dessa parcela inicial sem se dar ao trabalho de obter maiores informações sobre a transação. As vítimas vão transferindo dinheiro para pagamento de uma gratificação, gorjeta, mais uma extorsão etc. por pensarem que terão o retorno tão desejado “milhões de dólares”, e por quererem recuperar o dinheiro que já foi perdido, e os vigaristas vão pedindo um dinheiro ali outro aqui enviando mensagens com documentos oficiais para enganar a vítima. Em certo ponto da fraude, os vigaristas solicitam que a vítima viaje até a Nigéria para finalizar o esquema, se a vítima não quiser viajar para a Nigéria eles pedem que ela viaje para um país neutro. Ai a fraude tem um ponto crítico, porque os vigaristas pedem que a vítima viaje sem seu passaporte original porque não é exigido ou que use um falsificado por eles na chegada, aqui a vítima está completamente nas mãos dos golpistas, será hospedado em pequenos hotéis chamados de “hotéis 419” participando de reuniões com eles e funcionários corruptos do governo, sempre perto de prédios públicos para adicionar autenticidade à fraude, e continuam forjando uma maneira de obter mais dinheiro da vítima até perceberem que o “poço” está “seco” e abandonam a vítima. Os vigaristas procuram jamais atacar no país de origem da vítima.

A grande semelhança nessas mensagens é que sempre há milhões de dólares disponíveis para dividir com a vítima. Abaixo há um exemplo de mensagem utilizada para aplicar esse golpe.

Logo após a morte do general Sani Abacha, o novo governo da Nigéria descobriu 580 milhões de dólares em vários bancos pelo mundo a fora, dinheiro resultante de negócios com petróleo. Desse montante, U$ 21.373.000,00 foram recuperados pela viúva do general, a senhora Maryam Abacha. Devido a uma situação de extrema urgência, a senhora viúva deseja transferir para fora da Nigéria esse dinheiro a ser depositado na conta corrente de uma pessoa compreensiva e de confiança: você, o destinatário da mensagem. Como retribuição por tão amável serviço, o destinatário da mensagem será recompensado com 20 % do total: exatos U$ 4.274.600,00. É o que assegura Wase Kabiru remetente da mensagem e procurador da viúva.

Na mensagem, há parte da herança recuperada pela viúva de um general-corrupto envolvido em negócios ilícitos com petróleo que deve ser transferida para a conta corrente do destinatário para que fique em segurança e não seja confiscada pelo governo nigeriano. Esse é um dos muitos modelos de mensagens utilizados para praticar o golpe.

A ação contra esses vigaristas nigerianos é praticamente inexistente, algo como o jogo do bicho aqui no Brasil, uma contravenção consentida, sem contar que uma parte significativa das vítimas não apresenta queixas nem comunica a fraude com o receio de passar pelo ridículo de ter caído num golpe tão primário. Juntando tudo isso e o difícil rastreamento da origem das mensagens é que um golpe tão simples é eficaz.

Um meio de identificar a fraude é verificar a grande quantidade de erros ortográficos, recompensa grande, selos de autoridades do governo e uma história um tanto estranha.

Fiquem de olho!

Assista aos vídeos abaixo:

The Nigerian Email Spam Scam
The Nigerian Email Spam Scam parte2
The Nigerian Email Spam Scam parte3
The Nigerian Email Spam Scam parte4
The Nigerian Email Spam Scam parte5
The Nigerian Email Spam Scam parte6

Alexander Santos
Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: